Aditivos | Adoçantes | Alimentos funcionais |  Amidos | Análises | Aromas | Aves  | Bebidas | Carnes | Cereais | Cromatografia | Embalagens | Extrusão | Frutas e Hortaliças | Geoprocessamento | Gomas | Laboratórios | Laticínios | Legislação | Massas | Microbiologia |Óleos e Gorduras | Panificação | Pescados | Rações | Reciclagem | Reologia | Saúde | HACCP | GMP | 

Home
Acima
Cotação
Anunciar no site
Desenvolver Projetos
Site Map

 

 

 
 

 
 

Processo

v     Preparo do xarope simples: é a dissolução do açúcar em água quente tratada livre de microrganismos patogênicos e dentro dos padrões de qualidade, seguido de um aquecimento e filtração em carvão ativo para eliminar odores e sabores estranhos, e finalmente filtrado em terra infusória para eliminar impurezas. O xarope simples deverá ser submetido para resfriamento em trocadores de calor até atingir 20o C;

v  Preparo do xarope composto: é a adição dos conservantes, acidulantes, antioxidantes e a essência (flavor, suco natural e sais) ao xarope simples, que irá variar de acordo com o tipo de refrigerante a ser fabricado, caracterizando o mesmo. Em refrigerantes dietéticos ou light, o açúcar é substituído por edulcorantes, os demais ingredientes são mantidos;

v   Diluição do xarope: é a etapa de diluição do xarope com a água declorada;

v   Carbonatação: é o acréscimo de gás carbônico ao xarope diluído, pode-se denominar o produto obtido nesta etapa como refrigerante;

v   Envasamento: visa evitar o desprendimento de gás carbônico do interior da garrafa;

v Capsulagem e marcação: refere-se a etapa de identificação do lote e a data de validade do refrigerante;

v     Empacotamento e paletização: o empacotamento é a formação de pacotes pequenos de 6, 12 ou 24 garrafas ou latas, pelo envolvimento com um filme de strech, facilitando o transporte.

 

Acima ]

 

 

 

 Clique aqui para desenvolver seus projetos com o setor1